quinta-feira, 19 de abril de 2018

Rede Estadual decreta suspensão da greve após garantia da correção do Piso com retroativo



A greve da Rede Estadual de ensino do RN está suspensa. É o que foi decidido pelos trabalhadores em educação durante assembleia realizada na tarde desta quinta-feira (19/04). O movimento grevista durou 29 dias. Os profissionais retornam as escolas na segunda-feira (23).
A categoria suspendeu o movimento grevista após o SINTE/RN, mediado pela Justiça, arrancar do governo a garantia do pagamento da correção de 6,81% do Piso Salarial 2018, bem como o retroativo acumulado de janeiro a março.
O Piso, conforme prometido pelo governo, será implementado para os trabalhadores ativos já agora em abril. Os aposentados vão receber em 6 parcelas, de abril a setembro deste ano. O retroativo, tanto para ativos quanto aposentados, será pago de outubro a março de 2019, em 6 parcelas. Tal proposta, que foi a 5ª e última apresentada pelo Executivo, só saiu após muita negociação e o intermédio da Justiça.
A coordenadora geral do SINTE/RN, professora Fátima Cardoso, disse que a proposta do governo para pagar o Piso não é a ideal, contudo, é válida devido a conjuntura de cortes de investimentos: “Sabemos que a proposta que veio não é a melhor. Não é a que esperávamos. Porém, é a que conseguimos arrancar do governo após muita luta, sobretudo em um momento que os governos estão seguindo a cartilha de Temer e cortando investimentos”.
Já o coordenador geral do SINTE/RN, professor José Teixeira, disse que a luta agora é para fazer o governo cumprir o que prometeu: “O momento agora é de seguir firmes na luta. Portanto, vamos aguardar que o governo pague (o Piso) conforme prometeu, sob a mediação judicial”.
MELHORIAS NAS ESCOLAS
Quanto a melhoria nas escolas, que incluiu reformas, materiais didáticos, merenda e quadro completo de professor, entre outras coisas, o SINTE/RN vai formar uma comissão permanente, que reunirá os estudantes. Uma reunião para tratar do assunto acontecerá já nesta sexta-feira (20), às 14h30, na sede estadual do Sindicato.
EDUCADORES DE NATAL CONTINUAM EM GREVE; SEGUNDA (23/04) TEM NOVA ASSEMBLEIA
Na segunda-feira, dia 23 de abril, os educadores de Natal vão se reunir em mais uma assembleia de greve da categoria. A assembleia acontece a partir das 8h30, na ASSEN.
Em pauta a avaliação do movimento grevista, iniciado em 21 de março para reivindicar a correção do Piso Salarial 2018, melhores condições de trabalho, reformas nas escolas e concessão de direitos que vêm sendo negados. 
Até agora a categoria segue à espera que o Prefeito recém empossado, Álvaro Dias, convoque o SINTE/RN, conforme prometeu quando indagado durante a cerimônia de sua posse, e apresente uma nova proposta para pagar o Piso. Na última segunda (16/04) o SINTE esteve na Prefeitura em busca de uma audiência com o Prefeito. Porém, ele estava em viagem. 
Na assembleia realizada na última terça (17) os educadores da capital voltaram a rechaçar a última proposta do Executivo, considerada inaceitável, para pagar o Piso. A proposta sugere pagar o Piso Salarial apenas em junho, sem pagar o retroativo relativo a janeiro, fevereiro, março, abril e maio deste ano.
Fonte: sintern.org.br

Em reunião com Barbosa, governador da Paraíba defende frente ampla

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, defendeu a articulação de uma frente ampla que reúna as forças democráticas do país para as eleições gerais de outubro.

Ricardo Coutinho (PSB) é governador da Paraíba
Ricardo Coutinho (PSB) é governador da Paraíba

A declaração foi dada após o governador se reunir com o ex-ministro Joaquim Barbosa na sede do PSB. O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) é cogitado como pré-candidato à presidência.

Ricardo Coutinho reforçou a proposta defendida por parte das forças progressistas de "construir um programa mínimo e efetivamente se juntar para disputar a eleição".

"Espero que haja discussão com outras mãos, mas sem hegemonia ou exclusivismo", enfatizou ele, destacando que é preciso que haja uma consciência sobre a importância da frente democrática diante da atual crise que o país enfrenta.

De acordo com Coutinho, esta foi uma conversa inicial com Joaquim Barbosa e ainda não tem "nada em definitivo" sobre sua possível candidatura à presidência da República. "Nem o próprio ministro se disse disposto a fazer uma caminhada pelo Brasil defendendo a sua postulação", afirmou. 

Ao ser questionado, Coutinho negou qualquer possibilidade do PSB apoiar a candidatura do tucano Geraldo Alckmin. 
Fonte: http://www.vermelho.org.br

PF DEIXA BOFF NA PORTA EM MAIS UM ABUSO CONTRA LULA

Eduardo Matysiak/Agência PT

A Polícia Federal impediu que o teólogo e escritor Leonardo Boff e o vencedor do Prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel visitassem o e ex-presidente Lula em Curitiba, onde é mantido como preso político.
Boff criticou a prisão do ex-presidente Lula; "Lula está recluso. Recluso injustamente, pois não se trata de uma condenação judicial, se trata de uma condenação política, rejeitada pelos maiores juristas nacionais e internacionais", disse ele (leia mais).
O jornalista Mauro Lopes, colunista do 247, comentou a cena de Leonardo Boff sentado na entrada da PF. "É uma cena com um acento de tristeza, mas que ensina amizade, dignidade, vida de compromisso. Dois homens já velhos mostram-nos pelo exemplo que o máximo de divino é o máximo de humano", disse ele. 
Até o início da tarde, o Nobel da Paz Adolfo Perez Esquivel ainda aguardava a liberação para conseguir visitar o ex-presidente Lula, na sede da Polícia Federal, em Curitiba. “Até o momento, as portas estão fechadas, mas temos de abri-las”, disse o argentino, ao lado do teólogo Leonardo Boff, que também está tentando ter acesso a Lula. Esquivel se reuniu com o superintendente da PF, mas ainda não teve êxito em seu objetivo.
O argentino disse que pode esperar algumas horas, pois só vai voltar para seu país nesta sexta-feira (20). “Vim transmitir minha solidariedade ao povo brasileiro e a Lula, junto com meu companheiro Boff. Queremos Lula livre para que ele siga caminhando com seu povo, pois é uma injustiça o que estão fazendo com ele e é importante que o povo fique unido. Para tirar Lula da cadeia é fundamental a unidade do povo e a solidariedade internacional”, afirmou.
Fonte: www.brasil247.com

“PROBLEMA DELE”, DIZ JUÍZA QUE BARROU VISITA DE NOBEL DA PAZ A LULA

Ricardo Stuckert

O escritor e teólogo Leonardo Boff está em Curitiba junto com o ativista argentino Adolfo Pérez Esquivel, ganhador do Prêmio Nobel da Paz. Eles foram à unidade da Polícia Federal onde está preso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira (19), na tentativa de fazer uma visita de caráter humanitário e religioso. Já há uma decisão negativa de uma juíza de Curitiba para o caráter de inspeção às dependências.
A juíza da 12ª Vara Federal de Curitiba, Carolina Lebbos, ainda não respondeu a um requerimento anterior a esse, de autorização de visita em caráter pessoal em função da amizade. A advogada Tânia Mandarino, que presta apoio jurídico a Esquivel no Brasil, diz que chama a atenção o fato de que o pedido para a visita pessoal do argentino à Lula ter sido protocolado antes e ainda não ter sido apreciado.
"É preocupante essa conduta, porque Esquivel é apenas a primeira de muitas visitas internacionais que irão ocorrer ao ex-presidente Lula, como estadista. Sem contar o caráter de perversidade". diz a advogada, referindo-se à idade avançada de ambos. Esquivel tem 87 anos e Boff, 79. "Pela sua relação de aconselhamento espiritual com Lula, o Leonardo Boff deveria ter, inclusive, sua entrada franqueada. É lamentável."
A advogada viu componentes de sadismo na conduta da juíza Carolina Lebbos. "Absurdo dos absurdos, quando a juíza apreciou primeiro o pedido que foi posto depois, opusemos embargos de declaração pedindo que antecipasse o pedido de visita. Ela só respondeu sadicamente os embargos e não comentou sobre o pedido de visitas. Disse que não há urgência e, resumindo, 'problema do Esquivel se ele está só de passagem'."
Ao conversar diretamente com a Superintendência da PF, o ativista argentino teve o acesso mais vez negado. "Vamos ter de esperar se até amanhã (quando volta à Argentina) para ver se sai a autorização. Espero poder encontra o Lula, abraçá-lo e levar-lhe toda a solidariedade internacional que temos recebido, de Portugal, Alemanha, França, Noruega, vários países. Essa prisão tem causado uma apreensão de dimensão mundial", disse Esquivel.
"Eu que sou velho amigo de Lula vim em uma missão espiritual. Como uma lei divina pode ser negada por uma juíza terrena?", provocou Boff. O teólogo afirmou que o Brasil atual é uma nau sem rumo, e que Lula é o único que "brilha" aos olhos do povo com poder de reverter as "iniquidades" cometidas pelo governo Temer.
"Brasil está como uma nau perdida, um avião sem piloto, voando não sabemos em que direção ou em que montanha vai bater. Não há líder nenhum que aglutine pessoas, não há luz no fim do túnel. Estamos realmente em uma situação que nunca ocorreu em nosso país. A única pessoa que brilha nas estatísticas e no agrado popular é Lula. O portador do poder é o povo, e o povo quer Lula como presidente para desmontar as iniquidades que o governo Temer fez contra os trabalhadores, aposentados, contra a Saúde, a Educação", disse.
Adolfo Pérez Esquivel viaja amanhã de volta para a Argentina
O teólogo disse ainda que o golpe para retirar lideranças populares da política não vem sendo aplicado apenas no Brasil, e foi gestado externamente. Essas forças estrangeiras teriam se aliado aqui com o que Boff chama de "elite do atraso, os herdeiros da Casa Grande".
"Esses grupos milionários se aliaram com interesses estrangeiros e deram um golpe. Não mais com baionetas e tanques, mas um golpe de venalidade, comprando literalmente senadores e deputados, pervertendo a Justiça, partes do MP e da PF. Se criou uma coligação de forças que primeiro depôs Dilma, mas ela não era o objeto principal. O principal é Lula, e em segundo lugar é desmontar as políticas sociais que ele fez em função do povo e, se possível, liquidar a base popular do PT e fazer com que desapareça o partido", detalhou o teólogo.
A presidenta do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, participou da abertura das atividades da vigília na manhã de hoje aponta para todos os elementos que evidenciam atropelos à Constituição brasileira, configurando um Estado de exceção. "O Supremo Tribunal Federal, corte máxima da Justiça e responsável pelo zelo à ordem constitucional acabou contribuindo para esse Estado de exceção ao permitir a prisão política de um ex-presidente, já que o processo contra ele não tem provas nem consistência", disse Socorro.
Ela afirma que a comunidade internacional está perplexa por essa prisão sem processo transitado e julgado, portanto com cerceamento de defesa e violação do princípio da presunção da inocência. "Trata-se de uma perseguição política, movida a ódio, a preconceito de classe e com objetivo de impedir que Lula esteja livre e possa ser candidato. Todo o mundo está percebendo isso. Temos uma elite empenhada em garantir seus privilégios." Socorro estava acompanhada do senador Ignácio Bernal e da deputada Natália Sanchez, ambos do Congresso espanhol.
Na saída do prédio da Polícia Federal, representantes do Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável e do Movimento dos Atingidos por Barragens entregaram duas cartas ao argentino em apoio à indicação de Lula ao Nobel da Paz.
Fonte: www.brasil247.com

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Veto ao Prêmio Nobel é vexame internacional da Lava Jato

Ricardo Stuckert

Ao proibir o Prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel de encontrar-se com Lula na prisão, a juíza Carolina Moura Lebos, da 12ª Vara de Curitiba, tomou uma decisão que envergonha o Brasil.
Interlocutor regular do Papa Francisco, Esquivel não é um visitante qualquer.
Ganhou o Premio Nobel da Paz, em 1980, num reconhecimento pelo seu trabalho em defesa de direitos humanos na América Latina. Preso e torturado por militares de seu país, a Argentina, sua persistência na denúncia dos maus tratos a prisioneiros de todo mundo representou um esforço decisivo para a criação da Secretaria de Direitos Humanos da ONU, orgão que fiscaliza e protege cidadãos indefesos em todo o mundo.
Com uma visão universal de uma forma de violência estatal que causou vítimas em várias latitudes, Esquivel sempre se recusou a assumir uma perspectiva seletiva em suas denuncias. Não só defendeu os direitos das vítimas dos regimes militares de nosso continente, mas também chamou a atenção para a perseguição de dissidentes na antiga União Soviética e demais países da Europa do Leste.
Em 1980, Esquivel acabara de deixar a prisão quando tomou o caminho de Oslo, onde recebeu o Nobel.
Em 19 de abril daquele mesmo ano, Lula foi preso numa tentativa de derrotar uma greve de metalúrgicos. Até há pouco, aquela prisão – que fará seu 38º aniversário amanhã, era vista como lembrança de um passado que ninguém gosta de lembrar.
Ao proibir a visita, a juíza Carolina Moura Lebos fez nova tentativa de fazer o país andar para trás, pois implica em rejeitar as Regras de Mandela, reconhecidas pela ONU como padrão mínimo de respeito de respeito devido aos prisioneiros do mundo inteiro. 
A visita de Esquivel tem base jurídica inegável. A proibição é política. Empenhada em silenciar Lula de qualquer maneira, o veto tem a finalidade de impedir que a autoridade universal de um Prêmio Nobel da Paz, a mais importante condecoração do planeta, sirva par denunciar a imensa injustiça contra Lula. Sim, o contexto é tipico: querem nos levar de volta a um mundo que convivia confortavelmente com o regime do apartheid que Nelson Mandela ajudou a derrotar. 
Alguma dúvida?
Fonte: www.brasil247.com

LULA À MILITÂNCIA: “POR VOCÊS VALEU A PENA NASCER E VALERÁ A PENA MORRER”


O ex-presidente mandou recado para resistência no acampamento Lula Livre, em Curitiba. "Queridos e queridas companheiras, vocês são o meu grito de liberdade todo dia. Se eu não tivesse feito nada na vida, e tivesse construído com vocês essa amizade, já me faria um homem realizado. Por vocês valeu a pena nascer e por vocês valerá a pena morrer", diz a íntegra da mensagem. A mensagem foi publicada no site do ex-presidente Lula.

O recado de Lula à militância foi lida por Márcio Macêdo, vice-presidente do PT e coordenador das caravanas feitas por Lula, num ato próximo à Polícia Federal onde o ex-presidente está preso, em Curitiba, com a presença de diversas lideranças políticas, entre elas o ex-chanceler Celso Amorim.
Segundo Macêdo, a mensagem foi ditada por Lula e escrita pelos advogados. O ex-presidente pediu para que ela fosse lida a todas as companheiras e companheiros que estão mobilizados no acampamento próximo à PF. A leitura foi seguida por gritos "Lula Livre" dos presentes.
Fonte: 247

Projeto social realiza evento gratuito sobre 'Rabeca Nordestina' em Natal

Festival acontece nesta quinta (19) e sexta-feira (20), no bairro Felipe Camarão, na Zona Oeste de Natal.


Rabequeiro Maciel Salú é uma das atraçòes do "Rabeca Nordestina" (Foto: Divulgação)

Rabequeiro Maciel Salú é uma das atraçòes do "Rabeca Nordestina" (Foto: Divulgação)
O instrumento musical rabeca é destaque em um evento realizado no bairro Felipe Camarão, na Zona Oeste de Natal, nesta quinta (19) e sexta-feira (20). Com entrada gratuita, o "Rabeca Nordestina" conta com palestras, debates e oficinas gratuitas e acontece sempre das 14h às 17h na Escola de Saberes Conexão Felipe Camarão.
Para o primeiro dia do evento, que é idealizado pelo projeto Felipe Camarão, 
a programação começa com o potiguar Caio Padilha, que tem disco de 
rabeca gravado e dedicado às crianças, esse considerado o único no país.
 Ele fará uma palestra sobre “Um Sonho de Rabeca na Arca da Brasilidade”.
Em seguida, a educadora Maristela Môsca irá falar de “Heranças musicais e currículo”, enquanto que o pernambucano e rabequeiro Maciel Salú ministra
 uma oficina de “Rabeca Contemporânea”.
Já na sexta (20), a baiana Katharina Döring expõe a “Educação musical 
através de repertórios tradicionais” e o multi-instrumentista Cláudio Rabeca aborda a “Rabeca Brasileira”. Além disso, o potiguar Seu Elói comanda a
 "Oficina de Lutheria" e o grupo Bando Fabião encerra o evento.

Instrumento Rabeca

A Rabeca é um instrumento musical de origem árabe, utilizado desde a Idade Média. Sua sonoridade friccionada é semelhante ao violino, mas é tida como
 uma versão mais rústica do órgão. Apesar da semelhança entre eles, a 
rabeca é considerada singular, pois a sua construção e o modo de tocar 
variam e não possuem padrão universal, podendo apresentar inúmeras 
variações no tamanho, formato, quantidade de cordas, afinações e materiais empregados para a confecção.

Projeto Felipe Camarão

O Conexão Felipe Camarão é um projeto educacional idealizado pela 
ONG Associação Companhia Terramar. Criado em 2003, realiza ações educacionais e sociais através da cultura regional no bairro de Felipe
 Camarão, na Zona Oeste da capital potiguar.

Serviço

Rabeca Nordestina
  • Atrações: Palestras, debates e oficinas sobre o intrumento rabeca
  • Endereço: Escola de Saberes Conexão Felipe Camarão, Rua Maristela Alves, 
  • 579-A - Felipe Camarão
  • Data: quinta (19) e sexta-feira (20)
  • Horário: 14h às 17h
  • Entrada gratuita
  • Bando Fabião encerra o "Rabeca Nordestina" (Foto: Divulgação )
Bando Fabião encerra o "Rabeca Nordestina" (Foto: Divulgação )
Fonte: g1.globo.com

Impacto financeiro com licenças-prêmio a juízes do RN seria de R$ 68 milhões, diz TCE

No cálculo estão 247 juízes e desembargadores em atividade, e mais 57 magistrados inativos.

Sede do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, em Natal (Foto: Divulgação/ TJRN)

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) estima que o pagamento de licenças-prêmio,retroativas a 1996, que seriam pagas a membros do Tribunal de
 Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) gere um impacto financeiro de
 R$ 68,4 milhões aos cofres públicos do Estado.
Uma representação protocolada pelo TCE e assinada pelo conselheiro
 relator Carlos Thompson Costa Fernandes determina esse valor financeiro 
ao considerar que cada magistrado, excluindo os juízes substitutos, tenha 
direito a, pelo menos, três períodos da licença especial. O TCE elimina da estimativa os substitutos porque estes membros contam com cerca de dois
 anos de exercício.
No cálculo estão, segundo o órgão, 247 juízes e desembargadores em
 atividade no TJRN e mais 57 magistrados inativos. Ainda segundo o TCE,
 esses 263 membros representariam um gasto imediato de mais de
 R$ 260 mil, cada.
De acordo com o documento, assinado pelo conselheiro Carlos Thompson,
 as licenças especiais poderão causar um "abalo à já combalida saúde 
financeira do Estado do Rio Grande do Norte, se pagamentos vierem a ser eventualmente efetuados".
Conselheiro Carlos Thompson, presidente do TCE-RN, é relator de representação contra resolução do TJRN que institui o pagamento de licenças-prêmio a magistrados (Foto: Jorge Filho/TCE)
Conselheiro Carlos Thompson, presidente do TCE-RN, é relator de representação contra resolução do TJRN que institui o pagamento de licenças-prêmio a magistrados (Foto: Jorge Filho/TCE)
Representação
Nesta última terça-feira (17) o TCE entrou, a pedido da sua Diretoria de 
Despesa com Pessoal (DDP), com a representação contra o pagamento
 das licenças-prêmio aos juízes potiguares, ao menos até que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue a extensão do direito ao benefício aos 
membros da magistratura de todo o país, com base na equiparação desta carreira com o Ministério Público.
Foi baseado nesse julgamento do STF que, inclusive, o Conselho
 Judiciário potiguar e arquivou o pagamento das licenças.
O TJRN também, imediatamente após decisão do conselho nacional, 
também voltou atrás da decisão e afirmou que esperaria uma definição
 federal sobre o tema. Em publicação no Diário de Justiça, o tribunal 
determinou que sejam indeferidos e arquivados todos os pedidos de 
licença-prêmio ou conversão em dinheiro do benefício não utilizado no 
período adequado.
Entenda o caso
Na última quinta-feira (12), o TJRN publicou a resolução nº 11/2018, que
 definia o direito à licença-prêmio aos magistrados do RN retroativa à 
1996. A licença-prêmio é um período de três meses de folga remunerada
 a cada cinco anos trabalhados. O benefício é uma "prêmio por
 assiduidade".
Em nota, o TJRN informou que a resolução "apenas normatiza requisitos
 diante dos quais magistrados podem requerer a transformação da 
licença-prêmio em pecúnia, inclusive quanto ao tempo. A medida observa a 
legislação estadual vigente e uma situação que carecia de 
regulamentação. Esse usufruto quando ocorrer, atenderá à norma legal estabelecida".
O TJRN ressaltou ainda que o Poder Judiciário está em contenção de
gastos e que "o usufruto da pecúnia não integra prioridades ou meta da Presidência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte".
Fonte: g1.globo.com

terça-feira, 17 de abril de 2018

Só a democracia resgatará o Brasil



Estão estreitamente associados o impeachment que derrubou uma presidente democraticamente reeleita pelo voto popular - sem nenhum argumento jurídico que o justificasse, - e a colocação em prática de uma política econômica desastrosa para o país. Sem aquele, esta não seria possível, porque os que a propuseram nos processos eleitorais foram sucessivamente derrotados quatro vezes.
O período mais virtuoso da história brasileira, em que houve desenvolvimento econômico e distribuição de renda, democracia politica e soberania externa, combinou a democracia com a unidade nacional em torno de objetivos econômicos e sociais. O período catastrófico que se seguiu rompeu com a democracia e jogou o pais à beira do caos.
Não haverá resgate do Brasil sem o retorno da democracia. Enquanto o líder político mais popular que o país já teve siga sendo perseguido, preso, condenado, não haverá democracia e não haverá retomada do crescimento econômico. Quanto mais se intensificam os processos de judicialização da política, de expropriação do direito do povo de decidir livremente sobre os destinos do pais, votando em quem prefira, maior o desastre para o pais.
Governam para o 1% mais rico, para o capital especulativo, que não produz nem bens, nem empregos. Um capital financeiro que não financia a produção, o consumo ou a pesquisa, mas que vive da venda e compra de papeis, do rentismo. Que concentra renda, com vergonhosos balanços dos bancos privados que revelam onde está o dinheiro que falta na produção. Está na especulação financeira, na sonegação, nos paraísos fiscais. Dinheiro há, só que está na mãos de quem vive da especulação.
Todo grande grupo econômico tem, à sua cabeça, um conglomerado financeiro, que canaliza os recursos conforme a rentabilidade. E na etapa atual do capitalismo, se ganha mais na especulação do que na produção, se paga menos impostos, se dispõe de uma liquidez quase que absoluta.
Sem romper com a espinha dorsal do capital financeiro na sua modalidade especulativa, não haverá retomada do desenvolvimento econômico. E para tanto, é indispensável colocar nas mãos do povo a decisão do tipo de governo e de politicas que ele quer e precisa. Hoje uma minoria irrisória decide, com executivos dos bancos privados dirigindo diretamente a política econômica, os destinos da economia do pais. Foram colocados lá não pela decisão democrática do povo, mas por um golpe, contra a vontade manifesta pelo povo, nas eleições, desde 2002.
O resgate da democracia requer, entre outros requisitos, a livre disputa por todos os candidatos à eleição presidencial, sem exclusões. Não são juízes, sem mandato popular, nem a polícia, que devem decidir quem pode e quem não pode ser candidato. É o povo quem deve decidir. E o povo tem preferências claras. Nenhum candidato identificado com o governo que surgiu do impeachment e que coloca em pratica políticas radicalmente antidemocráticas, antissociais e antinacionais, tem chances de ganhar as próximas eleições. Daí as ameaças contra o caráter livre dessas eleições, até mesmo contra sua realização.
Não haverá democracia, nem retomada do desenvolvimento econômico, com perseguição política a líderes a quem o povo mostra preferência e que se propõem a retomar políticas que já demonstraram seu potencial de combate às desigualdades, à pobreza e à exclusão social. Só a democracia plena, com eleições livres, resgatará o país da pior, mais prolongada e profunda crise da sua história.
Fonte: www.brasil247.com

Aécio sai de cena pela porta dos fundos

Jefferson Rudy/Agência Senado
Não há nada a se lamentar nos 5 a 0 da primeira turma do STF, que transformou Aécio Neves em réu por corrupção. 
Num país onde a democracia é um regime em construção, Aécio foi o aventureiro que assumiu a liderança do golpe de 2016 na primeira fase, quando tentou bloquear o segundo mandato de Dilma Rousseff e, mais tarde, promover um impeachment sem crime de responsabilidade que atirou o país no abismo em que se encontra.
Não há nada a comemorar, porém. Aécio foi derrotado num julgamento era um bagaço sem suco. A decisão representa um novo passo na consolidação de um regime de exceção, obra da primeira turma do STF cuja principal estrela intelectual é Luiz Roberto Barroso, uma das principais vozes na construção de um estado judicial no país. Dois dias antes, em Harvard, Barroso fez um pronunciamento de avestruz diante de notórios sinais de mobilização e indisciplina militar no país.
"Eu era um militante contra o regime militar e me opus fortemente a ele, mas, se há uma parte do Brasil que não deu nenhum problema nos últimos 30 anos, foram os militares", disse Barroso, em Harvard. "
"Não há razão para temê-los" e "duvido que eles queiram estar lá de novo"acrescentou Barroso, para afirmar, um pouco adiante: "O que você pode sentir é que os militares, como todo mundo no Brasil, estão preocupados e querem mudar as coisas para melhor. Como eu também", avaliou.
A derrota de Aécio Neves ocorre nesse ambiente inglório, num filme onde não há mocinhos para aplaudir. 
Em retrospecto histórico, ele assume o lugar do lamentável Adhemar de Barros, duas vezes governador de São Paulo e um politico lendário da política brasileira na segunda metade do século passado. Duas vezes  governador de São Paulo, Adhemar foi um dos principais articulares civis do golpe contra o governo Goulart, em 1964. Com auxilio da mulher, Leonor Mendes de Barros, coube-lhe organizar a Marcha com Deus pela Família pela Liberdade. Dois anos depois, acabou cassado pelos militares, acusado de corrupção. Desmoralizado pela própria incoerência, não encontrou com o defendesse.
Deixou padrão de político associado ao lema "rouba mas faz". Ao menos na conjugação do segundo verbo, foi mais ativo do que Aécio, em função de uma coleção de obras públicas importantes na época, como o Hospital das Clínicas, a Via Anchieta, o primeiro projeto do metrô paulistano, de indiscutível relevância para a população do Estado, o que explica o aparecimento de algo conhecido como "ademarismo".    
Como ocorreu com Adhemar em 1966, Aécio deixa a política pela porta dos fundos, como um homem público que não esteve a altura de suas responsabilidades nem foi capaz de responder as oportunidades raras que recebeu, como neto de Tancredo Neves, um dos grandes políticos brasileiros do século XX.
Fonte: www.brasil247.com

segunda-feira, 16 de abril de 2018

NOBEL DA PAZ PEDE PRA VISITAR LULA NA CADEIA