domingo, 21 de maio de 2017

EM NOITE DE FESTA, QUADRILHA JUNINA MATUTINA POTIGUAR APRESENTA SEU FIGURINO 2017


Figurino 2017 da Quadrilha Junina Matutina Potiguar de Santo Antônio
A mais  ganhadora de títulos e a maior Quadrilha Junina de todos os tempos de Santo Antônio do Salto da Onça, a Matutina Potiguar, realizou uma belíssima festa para apresentar à todos os Santo-antonienses o seu figurino do ano de 2017.


O evento contou com vários participantes que fizeram parte de anos atrás do Grupo Cultural, a Matutina percorrerá diversos Festivais durante este, levando sempre a Cultura Nordestina e Santo-antoniense. Além do figurino,  a Quadrilha apresentou ainda  seu novo repertório e toda sua diretoria,  foi uma noite de muita alegria e profissionalismo.



Participaram ainda do evento a Secretária de Assistência Social e primeira-dama do município, Aldézia Ferreira, Secretária de Educação Daniele Medeiros e a Secretária de Cultura Érica, além do excelentíssimo senhor prefeito, Josimar Ferreira.

"Quero começar parabenizando ao presidente Gil, está é uma noite de muita alegria e me sinto realizado em poder mais uma vez fazer este espírito junino Santo-antoniense se manifestar de forma brilhante em todo o Rio Grande do Norte", disse o prefeito Josimar Ferreira.


Prefeito de Santo Antônio Josimar Ferreira com a diretoria da Matutina Potiguar


População vai às ruas em todo o Brasil por Diretas Já


Divulgação/Frente Brasil Popular
Manifestação em São Paulo
Manifestação em São Paulo


Em boa parte do país o domingo foi de muita chuva, mas as condições climáticas não impediram a população de ocupar as ruas para exigir a renúncia do presidente golpista que agora é investigado por corrupção, organização criminosa e obstrução à justiça. 

Desde a última quarta-feira (17), quando os empresários do frigorífico JBS entregaram à justiça uma série de materiais com áudios e vídeos capazes de provar o envolvimento de Michel Temer e aliados em um grande esquema de corrupção, o castelo de areia do golpista começou a ruir. 

As grandes manifestações registradas nas principais cidades neste domingo mostram a força popular que exige a renúncia de Temer. Os manifestantes pedem ainda a convocação imediata de novas eleições e rechaçam qualquer tentativa de decisão indireta. 

Em São Paulo, os organizadores acreditam que mais de 30 mil pessoas ocuparam a Avenida Paulista, apesar da chuva que não deu trégua em nenhum momento do dia. Outras capitais também tiveram manifestações numerosas, entre elas Fortaleza, no Ceará, que contabilizou cerca de 30 mil pessoas e Salvador, na Bahia, com 10 mil.

Veja mais detalhes e imagens das manifestações 

Acre

Cerca de 700 pessoas participaram da manifestação convocada pela Frente Brasil Popular e pela centrais sindicais em Rio Branco, no Acre. Além de populares, compareceram representantes de entidades como CUT, União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) para defender a renúncia de Michel Temer e Diretas Já.

Amazonas

Em Manaus, a manifestação reuniu quase 500 pessoas em defesa do Fora Temer e da realização de novas eleições, assim como contra as reformas trabalhista e previdenciária. O ato ocorreu na Praça do Congresso.

Bahia

Salvador reuniu cerca de 10 mil pessoas que se concentram no Largo do Campo Grande no início da tarde e depois se dirigiram ao Farol da Barra. A manifestação exigiu a saída de Michel Temer e eleições diretas. Participam representantes da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB),, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB-BA) e entidades populares. 

Ceará

Fortaleza foi palco de uma das maiores manifestações ao reunir cerca de 30 mil pessoas na Praia de Iracema. Com bandeiras, cartazes e faixas exigindo Fora Temer e Diretas Já, os manifestantes convocados pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo percorreram ruas e receberam grande apoio popular.

Distrito Federal

Duas manifestações em Brasília reuniram somaram cerca de 500 pessoas, inicialmente ao lado do Museu da República e mais tarde na Biblioteca Nacional. Assim como nos demais estados, os manifestantes exigiam a saída de Temer e a convocação de eleições diretas. 

Goiás

Goiânia teve manifestação na Praça do Trabalhador, onde centenas de pessoas exigiam a saída de Temer e a realização de eleições diretas. O ato foi organizado CGT, pela CUT e pela Frente Brasil Popular (FBP) e ocorreu pela manhã.

Minas Gerais

Além de Belo Horizonte, cidades como Juiz de Fora e Uberlândia realizaram manifestações por Fora Temer e Diretas Já. Na capital, o ato foi convocado pela Frente Brasil Popular, pela CUT, CTB e outros movimentos sociais, estudantis e partidos políticos foi realizada na Praça da Liberdade. Em Juiz de Fora, cerca de mil pessoas participaram do ato convocado por movimentos estudantis, sindicatos e movimentos sociais. Já em Uberlândia, pelo menos 150 pessoas se manifestaram pela saída de Michel Temer (PMDB) e eleições diretas imediatas . O evento foi organizado pelo Comitê Regional Contra as Reformas da Previdência e Trabalhistas - Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo. 

Mato Grosso

O ato em Cuiabá foi convocado pelas centrais sindicais e movimentos sociais e ocorreu na feira do bairro CPA II para protestar contra Temer e o governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB). 

Mato Grosso do Sul

Em Campo Grande, manifestantes fizeram um ato contra a corrupção, a reforma trabalhista, e pediram o afastamento de Michel Temer. Segundo a O protesto a Frente Brasil Popular, reuniu cerca de 300 pessoas.

Maranhão

Em São Luis houve uma carreata com cerca de 400 carros e três mil pessoas circulou pelas principais avenidas de São Luís, segundo Joel Nascimento, presidente da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB). A manifestação foi convocado por centrais sindicais, além das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Pará

Uma manifestação convocada pelas centrais sindicais e por movimentos sociais reuniu dezenas de pessoas em Belém em defesa da saída de Temer e por eleições diretas. 

Paraíba

Em João Pessoa, uma manifestação reuniu cerca de 500 pessoas para existir a renúncia do presidente Michel Temer e a convocação de eleições diretas. O ato foi convocado pela Frente Brasil Popular e se concentrou no Busto de Tamandaré, entre as praia de Tambaú e Cabo Branco em João Pessoa 

Paraná

Uma manifestação convocada pela Frente Brasil Popular caminhou pelas ruas do centro de Curitiba pedindo a suspensão das reformas trabalhista e da Previdência e também a saída de Temer. A concentração foi na Praça Santos Andrade, em frente à Universidade Federal do Paraná (UFPR) e teve início às 14:30.

Pernambuco

A Praça do Marco Zero, no Centro de Recife, tradicional ponto de manifestações da capital pernambucana, reuniu milhares de pessoas convocadas pelas centrais sindicais e movimentos sociais em defesa do Fora Temer e da convocação de eleições diretas. 

Piauí

Dezenas de manifestantes participaram do ato convocado pela Frente Brasil Popular e pelas centrais sindicais . O movimento pediu a renúncia de Temer e diretas e ocorreu na entrada do mercado público do bairro Parque Piauí.

Rio Grande do Norte

A manifestação em Natal pedindo a saída de Michel Temer e a convocação de eleições diretas começou por volta das 9h na Praça das Flores e terminou às 12h30. O protesto foi convocado por movimentos sociais e reuniu cerca de 4 mil manifestantes.

Rio de Janeiro

Centenas de manifestantes ocuparam parte da orla da Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro em protesto contra Michel Temer e o governador Luiz Pezão. O ato, organizado pelo Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Estado (Muspe) e pelos movimentos sociais, teve início às 10h e também exigiu eleições diretas para presidente.

Sergipe

Movimentos sociais e sindicalistas participaram de um protesto pedindo a renúncia do presidente Michel Temer nos Arcos da Orla da Atalaia, na Zona Sul de Aracaju. O ato reuniu cerca de 500 pessoas e foi convocado pela Frente Brasil Popular, centrais sindicais, movimento estudantil. 

São Paulo

Além da capital, algumas cidades também realizaram manifestações. 

Em Piracicaba dezenas de manifestantes realizaram um ato na Praça José Bonifácio e depois percorreram vias da área central até a Rua do Porto, região turística da cidade. . A manifestação foi convocada por dois movimentos, a Frente Povo Sem Medo e a Frente Brasil Popular.

Em Campinas, um ato convocado nas redes sociais pela Frente Brasil Popular reuniu 400 pessoas, segundo a Guarda Municipal. A concentração ocorreu no Largo do Rosário e, em seguida, o grupo ocupou a Avenida Francisco Glicério.

Em Ribeirão Preto, manifestantes fizeram um ato contra Temer e por eleições diretas. Realizada na Esplanada do Theatro Pedro II, a manifestação teve 150 participantes, de acordo com os organizadores. 

Tocantins

Em Palmas, centenas de pessoas, reuniram-se na Praça do Bosque, contra Michel Temer. Além da saída de Temer, a manifestação também foi contra as reformas da previdência e trabalhista. A manifestação foi convocada pela Frente Brasil Popular, centrais sindicais e movimento estudantil.


Veja mais imagens: 


Belo Horizonte

Fortaleza I Foto: Dalwton Moura

Salvador | Foto: Fernando Udo

Belém do Pará

Rio de Janeiro

Fonte: Portal Vermelho

OAB pedirá abertura de impeachment contra Michel Temer



Foto: Joédson Alves/ EFE
 O advogado Michel Temer perdeu a confiança da sua própria entidade 
 O advogado Michel Temer perdeu a confiança da sua própria entidade 





















A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai pedir a abertura do pedido de impeachment contra o presidente Michel Temer. O documento será protocolado na Câmara ainda no início desta semana, segundo Claudio Lamachia, presidente nacional da entidade. Em uma reunião que durou mais de sete horas, os conselheiros concordaram com o parecer de uma comissão formada pela entidade, que afirmou que há indícios de crime de responsabilidade na conduta de Temer. "Em termos políticos, o presidente perdeu por completo a condição de permanência no cargo", afirmou Lamachia à imprensa. Será o nono pedido de abertura de investigação no Congresso contra Temer por conta da delação da JBS. A decisão de acatá-los cabe ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), aliado do presidente.

O relatório da OAB dá um peso jurídico aos pedidos, tirando-o da esfera política apenas. As outras oito petições protocoladas na Câmara até agora foram feitas por deputados da oposição. Por isso, a posição da entidade complica ainda mais a situação de Temer, que neste final de semana já começou a ver sua superbase no Congresso ruir. Segundo a entidade, há indícios de que o presidente feriu o artigo 85 da Constituição Federal, que versa sobre os crimes de responsabilidade do Presidente, e o artigo 116 da Lei 8.112/1990, que descreve os deveres dos servidores públicos. Ele pode ter incorrido nestas infrações ao não informar às autoridades legais a ocorrência dos crimes relatados a ele pelo sócio da JBS, Joesley Batista. No encontro com Temer, gravado por Batista, o empresário afirmou que tinha comprado um juiz, um juiz substituto e um procurador da força-tarefa da Lava Jato. "O presidente omitiu-se ao dever legal de agir em razão de uma prática delituosa", destacou a comissão. "A aparente irregularidade de caráter criminoso ensejaria uma ação imediata de comunicação às autoridades competentes", ressaltou o conselheiro Flávio Pansieri, ao ler o texto.

Para a comissão da OAB, há indícios também de que o presidente agiu de maneira incompatível com o cargo, contrariando a Constituição e a Lei do Impeachment, ao se encontrar com o diretor de uma empresa investigada pela Justiça em um encontro com "protocolo não-habitual", por ter ocorrido na residência oficial tarde da noite e por Batista ter entrado pela garagem, sem se registrar, sem qualquer apontamento na agenda oficial. O relatório destaca que os áudios mostram que na conversa se verifica um esforço por parte do presidente em indicar um interlocutor para tratar dos interesses do empresário junto a órgãos do Governo federal. Isso, segundo a comissão, poderia caracterizar falta de decoro e favorecimento de interesses privados em detrimento do interesse público.

O inquérito autorizado pelo Supremo Tribunal Federal traz a gravação, em que Temer indicou ao executivo da JBS o deputado Rodrigo Rocha Loures, seu ex-assessor, para tratar dos interesses da empresa. E, em outro áudio, Loures aparece em conversa com o empresário, intercedendo em favor dele no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). A pendência de Batista com o órgão renderia a ele um lucro de 300 milhões de reais. Em troca da ajuda, ele ofereceu ao parlamentar indicado por Temer uma propina de 5%. O deputado aparece nas gravações falando ao telefone com o então presidente do órgão.

No início dq tarde deste sábado (20), Temer afirmou à imprensa que "simplesmente ouviu" Batista e que não acreditou na palavra do interlocutor. "Nada fiz para que ele obtivesse benesses do governo. Não há crime em ouvir reclamações e me livrar do interlocutor indicando outra pessoa para ouvir suas lamúrias. Confesso que eu o ouvi à noite, como ouço muitos empresários, políticos, trabalhadores, intelectuais e pessoas de diversos setores da sociedade brasileira", destacou. O deputado Carlos Marun, que faz parte da tropa de choque do presidente, esteve na OAB neste sábado para fazer a defesa de Temer. Ele deu indicativos de que, para se salvar, Temer deve jogar a culpa do delito em seu ex-assessor. "Foi uma decepção", disse Marun, sobre a conduta do deputado flagrada no áudio. 

O advogado de Temer, Gustavo Guedes, também presente na sessão da OAB, pediu mais tempo para fazer a defesa do presidente na entidade, antes que os conselheiros decidissem se acatavam o relatório. Argumentou que os áudios estavam fraudados, como afirmou uma reportagem da Folha de S.Paulo deste sábado, e destacou que pediu ao STF que suspenda o inquérito até que a perícia, também pedida ao STF, seja feita nos diálogos. O STF acatou o pedido de perícia e os áudios foram encaminhados para a Polícia Federal, mas o Supremo decidirá sobre a suspensão do inquérito apenas em sessão plenária, na próxima quarta-feira (24).

Os conselheiros da OAB, entretanto, decidiram que não concederiam o prazo pedido pela defesa, pois ele ensejava o pedido de abertura de impeachment, ou seja, o pedido de abertura de uma investigação. E o momento de defesa é no curso da investigação. Além disso, vários deles destacaram que, independentemente dos áudios terem sido fraudados ou não, o próprio discurso de Temer, que não negou o encontro com o empresário e confirmou que ouviu os relatos de crime e não agiu por achar que era mentira, já são, por si só, as provas de uma possível irregularidade. "Na minha avaliação, tudo isso que está posto é absolutamente grave. São gravíssimas as acusações", disse à imprensa o presidente nacional da OAB. "Até o presente momento nós não tivemos nenhuma negativa [de Temer] em relação ao [conteúdo dos] diálogos que ali estão feitos." 


 
Fonte: El Pais

Fortaleza: 30 mil pessoas ocupam Beira Mar por Diretas Já


 
 


A unidade popular foi a marca da manifestação que agregou as Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, além de diversos partidos políticos, parlamentares, centrais sindicais, além de homens e mulheres, estudantes, jovens, trabalhadores de várias categorias profissionais e sociedade civil organizada. Aos brados de “Fora Temer!” e “Olê, olê, olê, olá! Diretas Já!”, o ato convocado pede a renúncia do presidente golpista. 

Teve mobilização, consciência política e humor, característica do povo cearense. Um caixão simulando o enterro do presidente golpista foi a sensação do ato, além de uma paródia da cantora Xuxa, que brincava com o atual cenário político. “Todo mundo tá feliz, Michel Temer vai dançar! Com o Golpe por um triz o povão inteiro diz: Eleições Diretas Já”.

O protesto que ocupou a avenida Beira Mar e pintou a orla de vermelho, verde e amarelo é uma reação às denúncias que comprometem Temer e o senador Aécio Neves (PSDB), após delações dos proprietários da JBS. “Parabenizo todo o povo brasileiro, que neste domingo voltou a ocupar as ruas nas principais cidades para, mais uma vez, exercer um dever cívico e ser 
protagonista da História do Brasil. Só o povo na rua poderá retomar o rumo da democracia”, afirmou Luciano Simplício, presidente estadual da CTB-CE. 

Mais

Pela manhã, a Região do Cariri também realizou protesto. A caminhada teve concentração às 8h, em frente ao Seminário São José, no Crato. Organizado pelas Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, o ato contou com o apoio dos Sindicatos dos Bancários do Cariri, dos Comerciários do Crato, dos Sevirdores Municipais do Crato, dos Trabalhadores Rurais, SINTSEF, SINASEF, SINDURCA, Fetraece, MST, PT, PCdoB, PSol, Mais e Levante Popular da Juventude.


Fonte: Portal Vermelho

Igrejas cristãs se manifestam por eleições gerais diretas


Mídia Ninja
Em todo o Brasil, população vai às ruas por Diretas Já neste domingo (21)
Em todo o Brasil, população vai às ruas por Diretas Já neste domingo (21)


Em documento divulgado nesta sexta-feira (19), a entidade conclama as igrejas-membro e seus fieis para a oração, intercessão e resistência em favor da democracia que garanta o acesso universal à saúde, à educação, à previdência social e ao emprego.

“Queremos uma democracia que garanta a distribuição de riquezas, garantia de direitos aos povos indígenas, taxação sobre grandes fortunas e que nos permita sonhar por novo céu e nova terra. Nenhum direito a menos!"

No documento, os religiosos denunciam o avanço das forças políticas conservadoras por meio da desestabilização do primeiro mandato da presidenta Dilma Rousseff com a suposta bandeira do combate à corrupção com vistas ao impeachment e a posse de Michel Temer. "Este processo passou para a história como um golpe parlamentar perpetrado em nome da moralização da política brasileira e concretizou a ruptura democrática."

Eles criticam ainda o fechamento do acesso popular ao Poder Legislativo, o cerco de policiais fortemente armados contra trabalhadores, estudantes e indígenas, criminalizando movimentos sociais.

"As discussões são realizadas a portas fechadas, sem a participação da sociedade civil. E que os patrocinadores do golpe levaram ao Executivo e ao Congresso uma pauta de retrocessos, que incluem o corte de programas sociais, o sucateamento dos serviços públicos, venda de terras para estrangeiros, até chegar à reforma trabalhista e à reforma previdenciária e na defesa do interesse de ruralistas, como no caso da CPI do Incra/Funai."

Para a entidade, as revelações de corrupção envolvendo Temer, em pleno exercício do mandato, e empresários do grupo JBS, são "as provas de que falta a esse governo a legitimidade para conduzir os destinos da nação, especialmente, quando se discutem propostas que afetam a vida de toda a população nos próximos cinquenta anos." 


Fonte: RBA

Temer pede ao STF suspensão do inquérito que o investiga


Divulgação
Temer também atacou Joesley: "Quebraram o Brasil e ficaram ricos", acusou
Temer também atacou Joesley: "Quebraram o Brasil e ficaram ricos", acusou


Além disso, Temer reafirmou que não irá renunciar ao cargo de presidente da República, mesmo diante do turbilhão que assola a política nacional e afunda o país em uma crise institucional. 

Na noite de 7 de março deste ano, Temer recebeu o empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, no Palácio do Jaburu. O empresário registrou a conversa com um gravador escondido e depois apresentou a gravação a investigadores da Operação Lava Jato, da qual se tornou delator.

No pedido de abertura de inquérito ao STF, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que a conversa indica "anuência"de Temer ao pagamento de propina mensal, por Joesley, para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso em Curitiba pela Operação Lava Jato.

Temer disse que o áudio foi editado “mais de 50 vezes”, para alterar o teor de suas afirmações e induzir a opinião pública a um “julgamento errôneo”. O pedido de suspensão do inquérito foi formalizado logo após o pronunciamento, às 16 horas, com a justificativa de que a gravação deve ser minuciosamente analisada para provar se houve, de fato, as tais edições apontadas pelo presidente. 

Resposta de Joesley

Joesley, por sua vez, garante ter a íntegra da gravação e disse que irá disponibilizar o conteúdo ainda neste sábado. “O empresário Joesley Batista tem cópia da íntegra da gravação que fez da conversa que teve com o presidente Michel Temer. Ele vai divulgar uma nota após o pronunciamento de Temer que está previsto para este domingo”, diz uma nota oficial divulgada pela assessoria do delator. 


Do Portal Vermelho, com agências

sábado, 20 de maio de 2017

População vai às ruas por eleições diretas em mais de 30 cidades


Divulgação
Brasileiros ocuparão as ruas de mais de 30 cidades para pedir convocação de eleições diretas imediatamente
Brasileiros ocuparão as ruas de mais de 30 cidades para pedir convocação de eleições diretas imediatamente


Gravações divulgadas pelo dono do frigorífico JBS, Joesley Batista, acusam Michel Temer de envolvimento em corrupção, organização criminosa e obstrução à justiça. Em áudio, o presidente aparece supostamente autorizando o pagamento de propina ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha. 

O material divulgado pelo empresário também incrimina o senador Aécio Neves (PMDB) que recebeu milhões de reais em pagamento de propina através de membros de sua família. 

Diante destes fatos, movimentos sociais e lideranças políticas exigem a imediata renúncia de Temer e convocação de novas eleições diretas por entender que a nomeação indireta do presidente da República seria a consolidação de m novo golpe contra o país. 

Para pressionar a renúncia de Temer, milhares de pessoas sairão às ruas de todo o país neste domingo (21). 

Confira no mapa o horário da manifestação em cada cidade: 




Do Portal Vermelho

Eleições diretas: Confira o calendário de manifestações neste domingo



Frente Povo Sem Medo
 
 





















Movimentos sociais e lideranças políticas denunciam que a eleição indireta seria um novo golpe ao Brasil, tendo em vista que o já desmoralizado Congresso Nacional seria o responsável por eleger um novo Presidente da República, justificando dessa forma a necessidade do povo decidir os rumos do país. 

Michel Temer encontra-se, desde a última terça-feira (17), mergulhado em acusações envolvendo corrupção, organização criminosa e obstrução à justiça, após vir à tona a delação premiada do dono da Rede JBS, Joesley Batista, detalhando o envolvimento do presidente à situações escusas. 


Confira o calendário de manifestações: 


Circuito Liberdade

Praça Ary Coelho

Largo Dom João 

Praça Tubal Vilela

Praça do Trabalhador

Redenção — Parque Farroupilha

Bar Mangueira, Próximo A Igreja De Capuchinhos

Calçadão de Campos

Praça José Bonifácio

Prefeitura de Marília

Praça São José Campo Mourão

MASP

MASP

Phoenix Park

Westmount Square

Estátua De Iracema

Teatro Municipal Manoel Lyra

Prefeitura de Blumenau

Praça Presidente Vargas

Praça Getúlio Vargas

Praça São Francisco de Assis

Praça Dos Girassois

Plaza de Bolivar

Union Square Park




Do Portal Vermelho, com informações do Mídia Ninja 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Eleições diretas: Centrais unificadas participam de atos neste domingo


 
 

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, havia declarado que a entidade estaria presente nas manifestações deste domingo. Segundo ele, a Força não quer ficar fora do debate político. 

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) divulgou nesta quinta-feira (18) reivindicando eleições diretas já. Em maior ou menor grau de aceitação em relação à palavra de ordem o fato é que as centrais concordam que o governo Temer não tem legitimidade para levar adiante reformas como as da Previdência e Trabalhista, que jogam a conta da crise nas costas do trabalhador.

Na opinião do presidente da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, fica comprovado que não serão os trabalhadores os beneficiados pelas reformas.

A nota das centrais afirma que "Qualquer solução democrática para a crise política e econômica nesta conjuntura passa pela construção de um amplo e democrático acordo nacional visando à defesa de nossa democracia e à construção de um novo projeto de desenvolvimento nacional”.

Participaram do encontro desta sexta-feira Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Força Sindical, Central de Sindicatos Brasileiros (CSB), Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Do Portal Vermelho


Amaral: Com golpe dentro do golpe, ruas apontarão para democracia



 
 


















"Começando pelo óbvio, estamos diante de um golpe dentro do golpe. A partir do momento em que Temer se tornou dispensável, ele foi destroçado. As mesmas forças lideradas pelo sistema Globo e pela articulação Judiciário e Ministério Público que derrubaram a presidente Dilma fazem o réquiem de Temer", diz. "Seria cômico, se não fosse trágico, os comentaristas que endeusavam Temer pedindo a sua renúncia. Isso muda substancialmente a luta das forças democráticas."

Porém, a decisão do jogo parece clara para o cientista político. "Quem vai decidir para onde vai o jogo são as ruas. Se as ruas se mantiverem ativas e o povo nas ruas, nós teremos uma alternativa democrática. Mas ainda não estou vendo a linha do horizonte."

Amaral cita as manifestações espontâneas ocorridas em Brasília e São Paulo, atos que estão sendo convocados no Rio de Janeiro e no Brasil inteiro para o próximo domingo (21), além da marcha a Brasília no dia 24.

Para ele, o pleito de eleições diretas "é a única alternativa institucional plausível". O problema, avalia, é que esta alternativa envolveria aprovação de uma emenda constitucional, "o que o Congresso, quando quer, faz rapidamente, mas é preciso ser precedida de uma reforma política". Isso para evitar os problemas das regras atuais, que premiam o poder econômico.

Mas ele não descarta a hipótese de mais uma regressão, no contexto do que analistas vêm denominando golpe dentro do golpe desde a consolidação do impeachment de Dilma. "O que levou a Rede Globo a romper com Temer?", indaga.

Em vídeo publicado em seu blog, o jornalista Luis Nassif aponta para uma realidade em que o próprio sistema Globo não tem o domínio da atual sucessão de acontecimentos. "As delações da JBS contra Temer e Aécio foram um dado fora das previsões. Não dá para achar que foi algo articulado, pelo fato de a Globo ter dado o destaque que deu. Não houve planejamento nenhum. Foi um dado imprevisível", disse no vídeo. 

Fonte: Rede Brasil Atual

Lula e Dilma rechaçam acusações de delator da JBS



Ichiro Guerra
 
 




















Segundo a nota, Dilma "jamais tratou ou solicitou de qualquer empresário ou de terceiros doações, pagamentos e ou financiamentos ilegais para as campanhas eleitorais, tanto em 2010 quanto em 2014, fosse para si ou quaisquer outros candidatos", disse a presidente, por meio de sua assessoria de imprensa". 

A presidenta também enfatiza que "nunca autorizou, em seu nome ou de terceiros, a abertura de empresas em paraísos fiscais" e "jamais autorizou quaisquer outras pessoas a fazê-lo".

Cristiano Zanin, advogado de defesa do ex-presidente Lula, afirmou que "nos próprios trechos vazados à imprensa que as afirmações de Joesley Batista em relação a Lula não decorrem de qualquer contato com o ex-presidente, mas sim de supostos diálogos com terceiros, que sequer foram comprovados".

Joesley disse que abriu uma conta depois de ter sido favorecido em negócios no BNDES, e que o ex-ministro Guido Mantega teria solicitado a abertura de uma outra conta. “Em reunião com Guido Mantega ocorrida no final de 2010, este pediu ao depoente que abrisse uma nova conta, que se destinaria a Dilma. O depoente perguntou se a conta já existente não seria suficiente para os depósitos dos valores a serem provisionados, ao que Guido respondeu que esta era de Lula, fato que só então passou a ser do conhecimento do depoente. O depoente indagou se Lula e Dilma sabiam do esquema e Guido confirmou que sim”, anotaram os procuradores na transcrição do depoimento.

"A referência ao nome de Lula nesse cenário confirma denúncia já feita pela imprensa de que delações premiadas somente são aceitas pelo Ministério Público se fizerem referência - ainda que frivolamente - ao nome do ex-presidente", destaca a defesa. 


Do Portal Vermelho, com informações de agências